8/31/2016

Presidente de partido da coligação pelo o BEM de Açailândia, defende plano de governo.

                         
Dr. Edson Feliciano e sua esposa Luisa
Açailândia - Em reunião nesta terça-feira, 30, o advogado e industrial, Dr. Edson Feliciano apresentou propostas para geração de emprego e renda e fez defesa do plano de governo do candidato à prefeitura de Acailandia Dr. Benjamim Oliveira. Edson Feliciano está movimentando o segmento empresarial e industrial ao apresentar os dois candidatos a vereador pelo PPL, partido que ele preside na cidade. 

“O nosso candidato prefeito é o único que tem a convicção de que a cidade precisa ser para as pessoas e não apenas para um pequeno grupo que só defende interesses próprios” disse.
Segundo o advogado, a cidade precisa ser eficiente na aplicação dos recursos e ainda manter o equilíbrio nas contas públicas, de forma a garantir que no futuro não hajam os mesmos problemas que atingem maioria das cidades do Maranhao atualmente”, comentou.

Para Edson Feliciano, a atual gestão nasceu de um ato de traição e que portanto não goza de credibilidade junto aos empresários e industriais, e com isso começou  e permanece sem a organização e o planejamento necessário para uma gestão confiável.  “O atual prefeito não é uma pessoa visionária, e tem feito uso de obras do governo do estado para enganar a população. 
O PPL partido pátria livre vem apresentando propostas para o crescimento ordenado da cidade e nessa perspectiva, os candidatos  Marcos e Cleber do Friagro defendem a criação de dois importantes órgãos de suporte gestão. Segundo Edson Feliciano, somente através de um Instituto municipal de planejamento e de uma fundação municipal de meio ambiente”, disse, destacando que a arborização e ajardinamento da cidade precisam ser implementados para garantir maior urbanidade e qualidade de vida para os munícipes.

Segundo ele, essa iniciativa contemplaria a sustentabilidade ambiental e urbana além de melhorar o aspecto visual da cidade. “O que se busca com isso é uma melhor qualidade de vida, mas só haverá resultado se as políticas públicas forem adequadas”

Por: Fábio Ribeiro