11/30/2013

"BOMBA BOMBA" Vice-prefeito sai da toca e dispara críticas ao governo municipal

Nem mesmo deixou completar o primeiro ano da gestão do prefeito Luciano Leitoa (PSB), ainda em janeiro de 2014, o vice-prefeito Danísio Marabuco (PCdoB), resolveu sair da toca demonstrando mágoa e insatisfação com o tratamento que vem recebendo na atual administração municipal, visto que os dois foram eleitos para o mandato até 2017.  Pela primeira vez, depois que deixou a Secretaria Municipal de Saúde, dois dias após a posse, Danísio Marabuco resolveu se manifestar publicamente em entrevista concedida na manhã desta sexta-feira (29), a Rádio Timon FM, quando criticou duramente o modelo de gestão adotado pelo prefeito Luciano Leitoa.  Por exemplo, de um a dez, deu seis como média para a aprovação do governo. 
Luciano Leitoa e Danísio Marabuco: A imagem foi feita na ocasião do Zé
Pereira 2013, quando eles estavam se relacionando bem
Para ele, falta autonomia para os ocupantes de cargos, notadamente secretários das mais diferentes pastas. “Particularmente, fui indicado para ocupar a titularidade da Secretaria Municipal de Saúde, mas sem nenhuma autonomia. Não sou menino, eu iria apenas assinar papel sem poder de resolutividade para nada. Por isso, resolvi não aceitar isso e pedi demissão. Alguns deles secretários deixaram os cargos”, desabafa Marabuco.

Mais adiante, Danísio Marabuco alegou que foi peça fundamental e importante no processo  eleitoral  que consagrou eleito o prefeito Luciano Leitoa  nas eleições de 2012.  “Todo mundo sabe da importância de minha participação como profissional de saúde, indicado pelo PCdoB, através do líder Flávio Dino, para ser o companheiro de chapa do prefeito Luciano Leitoa. Desta forma, contribui para a nossa vitória”, afirma ele.

Ao ser indagado via telefone pela diretora do Centro de Assistência Integrado de Saúde da  Mulher – CAISM, Maria José Araújo Torres, a Mazé da Saúde, porque estava ausente dos eventos promovidos pela Secretaria Municipal de Saúde, Danísio  Marabuco  foi bem taxativo: “Amiga Mazé, fui alijado. Vocês não querem que eu participe do governo”, disse ele, referindo-se a falta de convite para tais eventos e solenidades. No entanto, aproveitou o momento para cobrar também uma melhor estrutura com mais funcionários no tocante ao funcionamento do gabinete de vice-prefeito.

Ele condenou que dois grupos políticos vivem se perpetuando no Poder há vários anos em Timon. Neste caso, é a favor de que surjam novas lideranças jovens.

O vice-prefeito Danísio Marabuco disse que até a presente data não tem intenção de disputar qualquer cargo eletivo na próxima eleição.