7/19/2017

Dos 29 secretários de Flávio Dino, 12 devem concorrer nas eleições de 2018


12 secretários de Dino devem se candidatar nas eleições do próximo ano, isso representa pouco mais de 41% do secretariado atual

As eleições de 2018 devem proporcionar muitas mudanças no secretariado do governo do estado. A dança das cadeiras ainda não começou oficialmente, mas alguns secretários estaduais já assumiram que concorrerão a cargos eletivos. Outros seguem a linha de que é importante participar da disputa eleitoral, mas não cravam seus respectivos nomes nela. Mas tem também aqueles secretários mais contidos, com um trabalho menos vistoso aos olhos da população, mas que estão agindo nos bastidores sem muito alarde para alavancar suas candidaturas.

Neste cenário de especulação, o governador Flávio Dino (PCdoB) pode ainda não saber a quantidade exata de secretários que deixarão o governo nos próximos meses, mas ele já sabe que terá de procurar muitos substitutos para aqueles que forem tentar a sorte nas urnas. O jornal O Imparcial fez um levantamento da quantidade de secretários que devem deixar o governo para tentar uma vaga na Assembleia Legislativa ou na Câmara Federal. E a quantidade é alta: dos 29 secretários, 12 devem concorrer nas eleições de 2018. Isso representa pouco mais de 41% do secretariado atual.

Dentre os secretários, dois já confirmaram que estarão na briga por um lugar em Brasília: Márcio Jerry (Comunicação e Assuntos Políticos) e Jefferson Portela (Segurança Pública). Jerry já até lançou sua pré-candidatura durante um evento na cidade de Paraibano no mês passado. Outros que têm chances de saírem para deputado federal são Neto Evangelista (Desenvolvimento Social), Simplício Araújo (Indústria e Comércio) e Julião Amin (Trabalho e Economia Solidária).

Já sobre os titulares das pastas que almejam uma cadeira na Assembleia Legislativa, o nome de Marcelo Tavares (Casa Civil) encabeça a lista, seguido de perto por Márcio Honaiser (Agricultura, Pecuária e Pesca). Cotado inicialmente para concorrer a deputado federal, Clayton Noleto (Infraestrutura) deve ficar mesmo na disputa estadual.

Quem também irá para a disputa estadual é o secretário de Agricultura Familiar, Adelmo Soares, pivô de um mal-estar com os atuais parlamentares da Assembleia em meados do mês de maio. O titular da SAF chegou a dar explicações no plenário da Casa sobre uma suposta utilização do cargo para se beneficiar nas eleições em 2018.

Esta quantidade tende a aumentar se forem acrescidos a esta lista os nomes dos presidentes de alguns órgãos ligados ao governo do estado, com é o caso de Duarte Junior (Procon), Odair José Santos (Comissão de Licitação) e Pedro Lucas Fernandes (Agência Metropolitana). Os dois primeiros estariam na disputa para deputado estadual, enquanto que Pedro Lucas já sinalizou estar disposto a ser deputado federal.

Secretários e presidentes de órgão que podem concorrer em 2018

Podem concorrer a cargos os presidentes de órgãos Odair José Santos (Comissão de Licitação) e Duarte Junior (Procon) como deputados estaduais; Pedro Lucas Fernandes (Agência Metropolitana) como deputado federal.
Já entre os secretários que podem lançar candidatura no ano que vem, estão Márcio Jerry (Comunicação e Assuntos Políticos), Neto Evangelista (Desenvolvimento Social), Jefferson Portela (Segurança Pública), Simplício Araújo (Indústria e Comércio) e Julião Amin (Trabalho e Economia Solidária) para a Assembleia Legislativa, e Márcio Honaiser (Agricultura, Pecuária e Pesca), Márcio Jardim (Esporte e Lazer), Laurinda Pinto (Mulher), Tatiana Pereira (Juventude), Adelmo Soares (Agricultura Familiar), Clayton Noleto (Infraestrutura) e Marcelo Tavares (Casa Civil) para a Câmara Federal.

Secretários de Estado que devem permanecer

Enquanto alguns secretários do governo estão de olho nas eleições de 2018, a maioria segue trabalhando em suas respectivas pastas sem grandes pretensões políticas, pelo menos por enquanto. Nesta lista, pode até haver secretários que sonham em se candidatar, mas o cenário atual não parece ser favorável para eles seguirem adiante com este sonho. (O Imparcial)