4/17/2015

Advogado de Gleide Santos pode ser punido por não receber intimação da Comissão Processante

Palavra de ordem contra Comissão Processante: Procrastinar, protelar, postergar, empurrar com a barrica até o prazo se esgotar.


Vereadores ESSA
Vereadores Bento Camarão (presidente da comissão processante) e Prof. Pedro (relator).
Açailândia – Se há uma coisa que está deixando muita gente sem dormir na administração municipal, é a possibilidade da prefeita Gleide Santos, ser obrigada a depor perante a Comissão Processante de vereadores do município de Açailândia.
A palavra de ordem é: “procrastinar”, “protelar”, ou seja, empurrar com a barriga até o prazo da Comissão se esgotar. Uma velha e conhecida manobra que muitos advogados usam, principalmente em causas perdidas, quando se defende o indefensável.
Desta vez, até o experiente advogado Dr. Elias Diniz, representante da denunciada, ao tomar conhecimento do verdadeiro teor das graves acusações imputadas a sua cliente, “corre as léguas” com medo dos vereadores para não ser intimado e por vezes, quando é surpreendido, se recusa receber a notificação, alegando alguma desculpa como já aconteceu por duas vezes.
No início do processo foram nomeados por Gleide Santos dois advogados; o próprio Diniz e a sua sobrinha Dra. Karolyne Diniz, no entanto, por medo, precaução e estratégia de ser mais fácil localizar esta última para receber as devidas intimações, imediatamente, tomaram a decisão de desconstituir a Dra. Karolyne Diniz do processo.
A Comissão de vereadores reclama que o advogado Elias da Silva Diniz (OAB/MA 3.981), vem criando circunstância no mínimo inusitada de modo que está afetando o andamento dos trabalhos investigatórios da denúncia contra sua cliente. Sem alternativa, o Presidente da Comissão, vereador Bento Vieira Sousa, recorreu através de ofício ao Presidente da Subseção de Açailândia da OAB, Dr. Erno Sorvo, que disponibilize um representante da Ordem para acompanhar os membros da Comissão tão somente na ocasião em que for intimar o advogado da denunciada, para evitar novas situações que possa de algum modo afetar o regular andamento dos trabalhos da Comissão Processante.
Na verdade, as manobras do advogado Dr. Elias Diniz, é justamente para evitar o depoimento da prefeita Gleide Santos perante a Comissão dos Vereadores, pois, conhecendo a sua cliente e o conteúdo da vasta documentação existente na denúncia que comprovam as acusações do denunciante, Dr. Antonio Filho, seria fatal o depoimento da acusada e pelo visto, não haverá saída, a gestora municipal vai mesmo ter que descer do trono e depor pessoalmente na Câmara de vereadores nos próximos dias.
Inferno Político e o medo da verdade A prefeita Gleide Santos, totalmente acuada, vive num verdadeiro inferno político. Sem apoio, mergulhada em condenações, denúncias, processos e investigações que proliferam de todos os lados, está simplesmente colhendo o que plantou. Por último, tentou desviar a atenção da população com uma entrevista “sem pé e sem cabeça”, alardeando que faria uma denúncia com provas contra vereadores e terminou não provando absolutamente nada, apenas agravando mais ainda a sua relação com a Câmara Municipal.
Por outro lado, a gestora tem consciência das graves acusações que pesam contra si, pois, segundo o denunciante, a denúncia além de bem embasada, contém as provas e contraprovas e não há como a mesma dizer que não cometeu tantas irregularidades. Sem credibilidade e muitas promessas não cumpridas, Gleide Santos mantém seu governo numa intensa base de mentiras e a mentira vira um vício quando nos damos bem com ela, porém, como dizia Gepeto, o pai de Pinóquio, “a mentira tem pernas curtas e nariz comprido”, mais cedo ou mais tarde, a virtude da verdade chega e assume seu lugar de origem.

0 comentários:

Postar um comentário