8/13/2014

Sergio Vieira: “Gleide Santos traiu a todos, inclusive a população com essa administração decadente, desastrosa e medíocre”

Advogado Sergio Vieira

Sérgio Vieira nasceu em 1979 na cidade de Açailândia, onde passou toda a sua infância e vida estudantil. Fazendo o ensino médio na Capital do Estado, enfrentou o vestibular em 1997, tendo êxito em sua primeira tentativa, sendo um dos primeiros da lista de aprovados no curso de Direito pela UFMA, Campus de Imperatriz.

Logo em seguida, após sua conclusão de seu curso de graduação, realizou o exame da OAB, onde se classificou também, entre os primeiros colocados. Com o objetivo de aprimorar sua capacidade profissional, especializou-se em Direito Ambiental na Universidade Veiga de Almeida, no Estado do Rio de Janeiro, em 2003.

Ingressou na política no ano de 2010, quando se candidatou a Deputado Estadual, movido pelo interesse de promover melhorias na cidade que nasceu. Contou para isso com o exemplo do avô, Antônio Ferreira, vereador de quatro mandatos, exercendo inclusive a presidência da Câmara Municipal de Açailândia. Atualmente no cenário político, sua família tem a presença do seu tio Carlinhos do Fórum, e seu primo, Márcio Aníbal.

Filho da professora Maísa, gestora Estadual de Educação d Unidade Regional de Açailândia, e Bartolomeu Vieira, comerciante, Sérgio é também irmão de Saulo Vieira, advogado de renome na cidade. Para ele a família é a base de uma vida equilibrada, e não nega que sua felicidade hoje se expressa nos filhos: Serginho, 11 anos, e Maria Sofia, de 4 aninhos.

JM: Em sua campanha para deputado, você se intitulava como “filho de Açailândia”. Quero saber então qual a importância de se ter na Assembleia Legislativa um político natural de Açailândia?

Sérgio: Acho de suma importância, pois com certeza um deputado estadual natural de Açailândia olhará com uma visão de carinho e amor por sua cidade. Amor esse que se desenvolve a cada dia que passa com a mesma intensidade de uma mãe para um filho, e dessa forma teremos um grande cuidado e zelo pela cidade onde nasci e cresci.    Se um filho se candidata e não se empenha em se esforçar para trazer benefícios à população, quem o fará?

JM: Quais as principais ações desenvolvidas por você no curto período em que foi deputado estadual?

Sérgio: No período em que passamos pela Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão focamos em muitas para Açailândia e regional, exemplo disso foi a vinda de 70 km do programa ‘Luz para Todos’. Na cidade de Vila Nova dos Martírios, este benefício está inclusive concluído. Também trabalhamos pela interiorização do ensino médio para a zona rural da cidade de Itinga (Vavalândia), e este benefício se estendeu também para a zona rural de Bom Jesus das Selvas, onde as obras se iniciarão no próximo mês de agosto, com quatro polos educacionais.
Para o município de São Francisco do Brejão estamos levando uma escola de ensino médio com doze salas aulas, projeto este já licitado. Este benefício com as mesmas condições também vai para a cidade de São Pedro da Água Branca.
Na cidade de Buriticupu, desenvolvemos projetos na área da agricultura com obtenção de kit’s para irrigação. Em Cidelândia, desenvolvemos o trabalho do programa “Minha Casa Minha Vida”, que está em andamento.

Já em Açailândia, desenvolvemos várias ações. Lutamos para trazer os cursos do SENAC, para qualificação do nosso povo, beneficio este que já é uma realidade. Participamos efetivamente do desenvolvimento das ações da Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco (CODEVASF), para Açailândia, Itinga, e São Francisco do Brejão. Trouxe ainda para Açailândia a construção do Centro de Ensino Integral, obra das mais modernas do Brasil, orçada em quase 4 milhões de reais, ainda na esteira educacional.

Desenvolvemos o projeto de climatização de todas as salas de aula estaduais e dos municípios que formam a regional do município de Açailândia, ação está que já foi concretizada. Esses são só um demonstrativo da importância de se ter um deputado estadual da cidade de Açailândia.

JM: O senhor foi um dos principais nomes na eleição da atual prefeita Gleide Santos. Por que o senhor não faz mais parte do grupo de apoio da prefeita?           

Sérgio: Realmente acho que fomos importantes no que se refere à contribuição que demos para a eleição da prefeita Gleide Santos, mas depois disso a prefeita começou a ter um comportamento de exclusão para com os aliados da eleição, desde o início do governo tentamos por várias vezes contato com a prefeita, inicialmente até atendia o telefone e chegou até em nos receber por duas ou três vezes, e depois somente a secretária atendia os telefonemas dizendo que a prefeita retornaria as ligações, o que nunca acontecia.

            Nós a procurávamos com intuito de contribuir para a sua administração, para trazermos melhorias para com a cidade e a sua população. Ela chegou ao ponto de dizer ao meu avô, Antônio Ferreira, que não atendia o Sérgio Vieira, porque o mesmo era pré- candidato a deputado estadual, e que ela não poderia dar chance de crescimento para o Sergio Vieira em detrimento a seu candidato.

            Isso para mim foi uma verdadeira traição do sonho que tínhamos para Açailândia, quando fiquei me perguntando por que ela não expressou a individualidade em sua campanha. Gleide Santos traiu a todos, inclusive a população com essa administração decadente, desastrosa e medíocre. Acredito isto ao comportamento autoritário e de abandono ao grupo no qual se elegeu, portanto, ela que não nos quis.

JM: Quais são as principais promessas de campanha que não estão sendo comprida?

Sérgio: Acho que como eu toda a população de Açailândia teve seu sonho de viver em uma Açailândia melhor frustrado. Poucas ou nenhuma das promessas vêm sendo cumpridas. A primeira de todas foi em relação ao grupo, foi o abandono de todos sem nos dar a possibilidade de contribuirmos nessa administração para o melhoramento da cidade.
            Na área da saúde vejo que a coisa até pioraram, que era uma bandeira de mudança da atual administradora. Itens como o hospital materno infantil, que iria colocar em prática em dois meses nunca saiu do papel, o hospital municipal vem de mal a pior, sem condições de dar atendimento adequada a população e sem condições de trabalho para os profissionais de saúde.

            Em relação a infraestrutura, a coisa anda feia, período de chuva já passou e nada foi feito para que a cidade, que se encontra completamente esburacada, tivesse melhoria nessa área. Na educação, o que se vê são constates manifestações nas ruas, onde se mostra que a coisa não está bem. Nas outras áreas nem se houve falar de projetos, o que prova que nada vem sendo feito. Essas são só algumas das promessas que não foram cumpridas, se fôssemos destacar tudo, passaríamos o dia todo levantando itens. Por tanto, Açailândia não merece o que a atual prefeita vem fazendo com ela.

JM: Você acredita que esse governo ainda dará certo?

Sérgio: Não vejo como esse governo ainda pode dar certo, um governo que não valoriza seus próprios aliados, que não tem conversações com o parlamento e que não tem observado o bem estar do povo.

            A receita de tudo isso é uma administração que não vem observando a sua função política administrativa, já que nem possui o apoio da classe política e nem o apoio da população. Dessa forma não vejo recuperação em um governo pautado pela tirania e abandono do povo.

JM: Como você tem visto o posicionamento da maioria dos vereadores, que assim como o senhor, contribuiu para eleição da Gleide e que hoje faz oposição a ela?

Sérgio: Fico feliz em saber que o parlamento se levantou contra o governo unilateral tirânico, que vem oprimindo toda população e a classe política, ficando do lado e defendendo os interesses do povo açailandense. Mesmo com as dificuldades encontradas de um parlamento em desarmonia com o executivo, os vereadores não baixaram a cabeça, e vem buscando força junto ao povo para enfrentar os desmandos e mazelas desse governo, que acha que pode tudo, sem observar os preceitos legais, o que é uma verdadeira ditadura.

Lembrando até o episódio do surgimento da primeira constituição no mundo, onde o povo inglês se levantou contra a tirania de um cruel rei, o que possibilitou o surgimento de uma carta limitando os poderes do mesmo, que ficou conhecido como “carta magna”, sinônimo de constituição, dessa forma acho um ato heroico este por parte dos vereadores de Açailândia.

JM:
 O que você acha de Gleide Santos apoiar um candidato a deputado estadual que não é de Açailândia, sendo que aqui no município existem ótimos nomes?

Sérgio: Acho isso mais um devaneio da atual administração, que em detrimento da melhoria de Açailândia procura defender apenas interesses individuais, apoiando candidatos de fora, sendo quê em Açailândia existem ótimos nomes. Inclusive tenho ouvido que este referido candidato tem contribuído de forma direta com essa desastrosa administração, e não tenho conhecimento algum sobre qualquer benefício que o candidato a deputado estadual da prefeita tenha trazido para o melhoramento da cidade ou beneficiar a população.

JM: Considerações finais.

Sérgio: Nas considerações finais quero expressar a grande preocupação que tenho em relação à situação que o nosso município de Açailândia atravessa, um período tenebroso, só comparado à política do terror implantada pelas loucuras de Robespierre no período da Revolução Francesa, mas tenho certeza de que ações como a nossa descritas a cima trazendo benefícios que realmente atenda a população, com a aliança dos companheiros políticos que a prefeita abandonou, somado a luta incessante e heroica dos vereadores, teremos dias melhores, com a proteção de Deus e não apenas usando o seu nome d’Ele em vão para justificar os erros da atual administração.

            Eu tenho um sonho, um sonho de um dia ver Açailândia tratando todos de forma mais justa e humanizada, pois só ai nós da classe política estaremos alcançando os nossos objetivos, quando nos propomos a tal finalidade que é de procurar melhorar a qualidade de vida do nosso povo, deixando Açailândia uma cidade melhor para nossos filhos.

0 comentários:

Postar um comentário