2/12/2014

"POLITICA: NORDETE - BRASIL" não temos eleições limpas o voto é comprado a peso de ouro

A corrupção política em nosso país começa dentro do Palácio do Planalto e passa pelo Poder Legislativo. Não pode ter nada mais vergonhoso do que a grande imprensa anunciar que a Presidente da República, liberou 2 bilhões e não foi somente uma vez ou duas, foram várias, para acalmar a base governista, especialmente na Câmara dos Deputados, liberando emendas parlamentares para barganhar e ter a segurança de aprovar matérias do interesse do governo. Isso só acontece aqui no Brasil. Em nenhum parlamento do mundo, essa excrescência se verifica.
Os deputados inescrupulosamente decidem votar uma Lei, que garante a todos eles o montante de R$ 10 milhões por ano, somando R$ 40 milhões de reais durante os seus quatro anos de mandato, definindo o preço e o valor de cada um, obrigando ao Executivo liberar suas emendas, mas, tudo combinado, para votar tudo que o governo tiver interesse. Também somente no Brasil acontece uma excrescência tão imoral como essa.
Aqui no nordeste, o candidato que se dispuser a comprar votos e ganhar uma eleição para deputado federal, se tiver o montante de R$ 5 milhões, com certeza, ficará entre os 10 representantes do Piauí na Câmara dos Deputados.
O chefe político, aquele que tem a força de eleger o seu sucessor, enquanto ele se prepara para voltar de novo ao comando do município, deixando um preposto e serviçal seu na Prefeitura, ou o lado oposto que perdeu a eleição, recebem milhares de reais, para garantir o voto para deputado e até para senador.
Um colégio eleitoral acima de 5 mil votos não custa menos de R$ 500 mil reais. O parlamentar que já tem mandato tem uma vantagem, pois direciona essas emendas imorais, recebidas  como bonificação do governo para votar seus projetos no congresso, dividindo em 4 parcelas ou cotas de  R$ 10 milhões, por ano,  que obrigatoriamente, agora por Lei, o governo tem que colocar à disposição do deputado, para que ele leve para os municípios que prefeitos ou chefes políticos votam nele. Esses podem até gastar menos, pois o estado paga a conta por eles.
Isso precisa ser denunciado, os T.R.E.s têm a competente Policia Federal, que, se for acionada em pouco tempo vai abrir a famosa caixa preta das eleições no nordeste, e, em cidades do interior de todo país, onde o candidato paga e tem a garantia do voto daquele líder político, de acordo com o número de eleitores da sua corrente política no interior.
Existe na verdade currais eleitorais na maioria das cidades do interior, onde os eleitores do chefe político eram enjaulados, recebiam um cozidão de boi e cerveja quente, para depois da barriga cheia, receber o número do candidato do Chefe Político e votar sem sequer conhecer a fisionomia do seu candidato, a não ser por fotografias. Deles coitados que não sabem ler nem escrever, passam dias aprendendo a receber a cópia da relação de números que ele vai ter que aprender a votar no dia da eleição. Isso é a mais pura e cristalina verdade.
Por isso que os políticos sérios e que não aceitam vender ou alugar o voto para o Palácio do Planalto, que não participam dessas sinecuras imorais não se elegem, quando muito, ficam numa suplência, mas, nunca convocado. Uma triste e safada realidade.
Enquanto o país não qualificar o eleitor tirando da frente da urna o eleitor analfabeto que sequer sabe para que serve o voto, continuaremos com esses corruptos irresponsáveis comprando votos e mandatos, com dinheiro de grandes empresas, de grandes grupos e da corrupção em seus governos, em troca das benesses oficiais, daí tendo  que ajudar a eleger cada um, do seu grupo de deputados, para pressionar o governo, sempre que tiver seus interesses contrariados. Qualificando o eleitor, com certeza iremos qualificar o político. Assim os corruptos não lograrão êxito em suas campanhas eleitorais.  
O dinheiro de empreiteiras, grandes indústrias e até de federações importantes classistas, nem sempre aparecem nas prestações de contas, mas, ajudam no caixa 2, àquele que garante a eleição do corrupto, graças ao dinheiro do seu corruptor.
Essa é a nossa democracia, uma imoralidade generalizada, a cada pleito, onde a corrupção eleitoral tem sido o passaporte para que tipos nojentos e despreparados, ocupem o lugar de um homem de bem, graças a essa corrupção generalizada e imoral, dentro e fora do governo.
É a nossa dura opinião de hoje, sem ódio e sem medo, doa a quem doer.

0 comentários:

Postar um comentário