9/26/2011


Polícia Civil aborta plano de sequestro a esposa de empresário de Imperatriz

  • (André Luís e Darlene Glória foram autuados em flagrante)
    O PROGRESSO
  • (Casa no Parque Alvorada que serviria de cativeiro)
    O PROGRESSO
  • (Objetos encontrados na residência, incluindo um HT, com o qual o bando monitorava a polícia)
    O PROGRESSO
A Polícia Civil, através do seu Serviço de Inteligência, conseguiu abortar plano e evitar o sequestro de uma pessoa da família de um grande empresário de Imperatriz. A ação policial aconteceu por volta de 6 horas dessa sexta-feira, depois de seis dias de investigações.
Os policiais conseguiram prender dois acusados de integrar o bando, o casal André Luís Maciel, 34 anos, e sua esposa Darlene Glória Cavalcante, 27 anos. O casal foi preso na manhã dessa sexta-feira, quando ainda se encontrava dormindo em uma casa alugada na Rua Piracicaba, 122, Parque Alvorada I. Nesse mesmo endereço seria o cativeiro da esposa do empresário, que entre os familiares foi a escolhida para ser a vítima do sequestro.
Segundo o delegado regional Assis Ramos, o bando composto por cinco pessoas, entre elas André Luís Maciel e Darlene Glória Cavalcante, acusados de ser os mentores do plano de ação do sequestro, vinha monitorando os passos da esposa do empresário. Sabiam, inclusive, que ela congrega em uma igreja evangélica localizada na Rua Benedito Leite.
De acordo com o Delegado Assis, inicialmente o plano de sequestro tinha como vítima uma empresária do ramo de eventos na cidade. Inclusive, já tinha até uma carta feita para ser enviada aos familiares da empresária. Mas depois o plano foi mudado para pessoas da família do empresário, que é do ramo atacadista. Ele próprio estaria também na mira dos bandidos. Seria o familiar que desse mais certo e a escolhida foi a esposa.
Em seus depoimentos, André Luís e Darlene Glória informaram que, a princípio, seria pedido o valor de R$ 500 mil para a família do empresário. O sequestro estava programado para acontecer hoje.
De posse da denúncia, a Polícia Civil começou a investigar e comunicou o caso ao empresário que, por conta disso, mudou os hábitos do dia-a-dia. Ao perceberem a mudança de hábitos do empresário e de seus familiares, os bandidos recuaram.
O casal de bandidos, que estava arrumando-se para fugir para Minas Gerais, foi preso. Dois dos três componentes do bando que estão foragidos já foram identificados pela polícia - Antonio Davi da Silva Mendes e Júnior Negão.
Na casa onde o casal foi preso, os policiais apreenderam um HT, com o qual o bando monitorava a polícia, um aparelho que dá choque e é usado para tortura, uma peruca, algemas de plásticos, um computador onde se encontra arquivado o plano de ação do sequestro, celulares e um Gol branco, placa HPH-3485.
No local também foram encontradas várias caixas de perfume Avon, o que, segundo informações, servia de fachada para as ações criminosas do casal. Os perfumes eram distribuídos por Darlene Glória Cavalcante. André e Darlene estavam morando no endereço onde foram presos há cerca de três meses. Ele é paulista de Marília e já residiu em Marabá e ela é de Imperatriz.
André e Darlene foram autuados em flagrante delito por formação de quadrilha e estão presos à disposição da Justiça na Delegacia Regional de Imperatriz.