7/03/2017

Atitude da Presidência da ADEPOL-MA de impedir a apresentação do Delegado Thiago Fillipini à Imprensa, além de demonstrar união que a categoria tem, passou a impressão que o caso terá um desdobramento favorável ao delegado após audiência de custodia.


Informações oriundas da CAPITAL dão conta que o Delegado Thiago Fillipini pode ter sido vítima de uma das “MAIORES ARMAÇÕES ”, tudo indica que nesta semana entre (segunda-feira 03/07 ou terça-feira 04/07) após a audiência de custodia, haja um desdobramento do caso que resultará no aparecimento de provas que vão dar novos rumos ao caso esclarecendo assim os fatos. O delegado Thiago Fillipini, o investigador Glauber Santos da Costa, a escrivã Sylvia Helena Alves, o carcereiro Mauricélio da Costa Silva e o advogado Eric Nascimento Carosi foram presos preventivamente. Audiência de custódia de todos os envolvidos em suspeita de formação de quadrilha em Açailândia acontecerá durante essa SEMANA será conduzida pelo Magistrado Francisco Ronaldo Maciel Oliveira, juiz Titular da 1ª Vara Criminal do Termo de São Luís, Privativa para processamento e julgamento dos crimes de Organização Criminosa de São Luís.

O blog FOLHA DE CUXÁ continua aguardado informações sobre o desdobramento desse caso que causou um grande espanto na sociedade, e segundo nossos INFORMANTES da CAPITAL “A VERDADE CAIRÁ COMO UMA BOMBA”, por enquanto nós não podemos adiantar qualquer INFORME ADICIONAL até que a JUSTIÇA esclareça os fatos.  

VEJA MATÉRIA DO JORNAL PEQUENO – DO ÚLTIMO DIA 30/06/2017

Adepol se “tranca” no xadrez com delegado acusado de corrupção e impede sua apresentação à imprensa
Depois da atitude inusitada do presidente da Adepol-MA (Associação dos Delegados de Polícia do Maranhão), Marcone Lima, impedindo que a Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP-MA) apresentasse, no último dia 30/06, à imprensa, o delegado Thiago Fillipini, titular do 1º Distrito de Açailândia, preso semana passada, acusado de envolvimento em crime de corrupção.
A entrevista coletiva com a imprensa havia sido convocada para as 15h, sendo, com o impasse, adiada para as 17h. Seriam apresentados, além do delegado, as demais pessoas presas na operação de combate à corrupção deflagrada no 1º Distrito Policial de Açailândia.
Surpreendentemente, o presidente da Adepol e alguns associados dirigiram-se à Delegacia da Cidade Operária (Decop), onde ficam recolhidos os presos que integram os quadros da Polícia Civil, e se trancaram no xadrez com delegado Thiago, impedindo que ele fosse levado para a SSP para ser apresentado.
Sobre o episódio, a Adepol divulgou a seguinte nota:
“CRFB, Art 5. “X – são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação;”
Tendo em vista entrevistas que circularam no último dia (30.06.2017), de que a SSP-MA e a DGPCMA estariam tomando providências para promover uma ilegal e abusiva ‘apresentação à imprensa’, verdadeiro ato de linchamento público de um associado da Adepol-MA, a diretoria e associados, comprometidos com a preservação da dignidade da carreira, com a defesa da presunção de inocência e a preservação constitucional da imagem, estão nesse momento concentrados na Decop com firme e justo propósito de garantir que o associado preso não seja submetido a atos diversos daqueles previstos na legislação processual, sendo estes atos previamente comunicados através de intimação formal, com garantia de defesa técnica através de advogado”.


Fonte: Blog folha de cuxa

0 comentários:

Postar um comentário